segunda-feira, 18 de junho de 2012

O velho e o novo

Abri o meu armário e em uma caixa, no fundo dele, guardei minhas lembranças. Lembranças essas, é verdade, amo profundamente, do fundo do meu coração e sempre vou amar, mas é só. Porque apesar do velho mexer comigo, o novo me interessa, o novo me encanta, desde a primeira vez que o vi, o novo sempre me encantou.

Guardei o velho nessa caixa, no fundo do meu armário, em paz com ele e o amando mais, agradecida por que foi esse velho que me trouxe até o novo. Esse novo, o único que eu não quero que se torne velho. Por isso há meses venho falando sem parar, mesmo todas essas coisas sem sentido. Porque me apavora a idéia de haver um silêncio entre nós, um curto espaço de tempo, mas suficiente pra você dizer que já está tarde e tem que ir, e no fundo eu não quero que vá, nunca mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário