sábado, 26 de novembro de 2011

Piaf

Depois do pouco que dormi hoje, já com o dia claro, eu ouço Piaf enquanto assisto a desgraça da minha vida. Não sei ao certo porque, mas ouvir Piaf nesses momentos é como um anestesíco, eu tenho consciência do pior enquanto danço entorpecida pela música. Acho que no fundo eu penso: “ se é pra sofrer, então que seja em grande estilo.” Nada comigo é pouco e se for, eu faço grande, dou meu jeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário