segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Aquele pedido.

Hoje mais cedo, sai pra tomar café com o Caio. Ele acabara de voltar de viagem, foi pra Bahia e me trouxe de lá uma daquelas fitinhas do senhor do Bonfim, sabe? Conversamos um pouco e em seguida ele pegou as fitinhas, estendeu os braços segurando-as e disse:

- Vem Ni. ( Só ele me chamava assim). - Vem! Vamos fazer nossos pedidos!

Enquanto ele amarrava uma das fitas no meu braço, ia me pedindo que fizesse os tais pedidos. Pensei na hora: “ Que besteira!”, mas em seguida eu podia ver em seus olhos, quanta esperança ...Então sorri surpreendentemente de admiração a crença dele.

Resolvi guardar pra mim as minhas considerações. Sabe, às vezes, muito raramente me apiedo e deixo de destruir crendices populares em certas situações.

Fui pra casa pensando naquilo, durante o caminho eu olhava pra fita e me lembrei que eu já tive uma dessas em outra ocasião. Lembrei também que todos os pedidos que fiz, foram acontecendo, só que todos ao contrário e desde então via aquela fitinha como uma espécie de maldição. Depois disso eu ri da minha estupidez e em seguida com os olhos úmidos, senti saudade de ser uma pessoa mais crente. Os ignorantes realmente são mais felizes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário