terça-feira, 6 de setembro de 2011

Nada.

Eu não quero saber o que você tem a dizer nem antes, nem muito menos depois que transarmos porque simplesmente não me interessa o que você tem a dizer e sinceramente não me interessa o depois. Então foda-se o meu “eu” vazio e superficial, não quero ouvir da sua vida, não quero falar da minha....

Me pague uma bebida e se quiser me levar pra casa, leve! Mas saiba que de mim já levaram tudo, saiba que de mim não restou nada. Então leve esse corpo, morada das minhas dores, antiga residência da minha alma e não espere resgatar nada de mim. Não há nada aqui que possa ser resgatado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário