segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Não me peça.

Eu peco pelo exagero, eu erro com excessos, eu acerto com um sorriso, eu me redimo com um abraço, essa sou eu e não me julgue pelo que faço. Tudo tem um sentido, embora nada pareça ter, o que a mim parece certo, pode ser sujo pra você. 

Eu não sou de meias palavras. Já fui, hoje não há nada que eu sufoque em mim, nem mesmo esse meu desejo de liberdade absoluta, tão incompreendido em sua maior parte pelos que mais amo. 

Sou tão humanamente normal, por que esperar tanto de mim? Quanto tempo temos? Não sei! E é justamente por não saber que eu peco pelo exagero e erro com os excessos, aprendo com a vida. 

Não me peça pra desistir de viver meu erros, por que não?Não me impeça de cumprir com o meu destino seja ele qual for, um romance ruim, uma vida sem juízo, pensamentos absurdos, ideias que não fazem o menor sentido. Nada é absoluto ou infinito, a vida é muito relativa... Essas são as minhas considerações e há quem concorde, e há quem discorde, ai que tá graça. 

Não me faça escolher, porque eu nunca pedi que entendessem. Não me peça tudo quando pra você o que tenho a oferecer é nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário